Sport and the search for the human condition

Main Article Content

Antonino Manuel Pereira
https://orcid.org/0000-0002-3088-8413

Abstract

The crisis context with which we have been confronted is new, complex and with unpredictable consequences. At this juncture, some ethical problems that emerge about sport have an undeniable meaning and involve questions about what is fair or unfair, correct or incorrect, since it expresses a way of striving for excellence, instilling important virtues such as persistence, dedication and courage, and reveals the beauty of what the human body can accomplish and express. Thus, it is necessary to consider some ethical issues that sport faces today and that should be at the center of attention of sports agents. In this sense, this essay intends to reflect on the role of sport in the search for the human condition in current and future times.

Article Details

Section
Original Article

References

1 Constantino J. O desporto não é mais o mesmo! Olimpo Revista do Comité Olímpico de Portugal. 2017;(151):5.
2 Garcia R. Antropologia do Esporte. Rio de Janeiro: Editora Shape; 2007.
3 Coutinho MP. Ética e educação. In: Patrão Neves M do C (ed). Ética Dos fundamentos às práticas. Lisboa: Edições 70, Lda.; 2016. p. 225–44.
4 Patrício M. Lições de Axiologia Educacional. Lisboa: Universidade Aberta; 1993.
5Santos BS. O futuro começa agora. Da pandemia à utopia. Lisboa: Edições 70, Lda.; 2020.
6 Morin E. O método V. A humanidade da humanidade. A identidade humana. Nem Martins: Publicações Europa América; 2003.
7 Mosquera-González MJ, Pato AS. Modèle éducatif de la «non violence» et du fair-play pour le sport et pour la vie. Les règles éducatives à travers le Code de la «?non-violence?» et du fair-play [Educational model of “not violence” and fair play for the sport and for the life. The educational rules through the Code of the “not violence” and fair play]. Movement & Sport Sciences. 2018;(92):57–62.
8 Loland S, Hoppeler H. Justifying anti-doping: The fair opportunity principle and the biology of performance enhancement. European Journal of Sport Science. 2012;12(4):347–53. doi:10.1080/17461391.2011.566374
9 Nowy T, Breuer C. Match-fixing in European grassroots football. European Sport Management Quarterly. 2017;17(1):24–44. doi: 10.1080/16184742.2016.1193212
10 Bomtempo TV. Doping genético e eugenesia: diálogos além do esporte. Revista Latinoamericana de Bioética. 2016:16(31–2):82.
11 Lowther M, Digennaro S, Borgogni A, Parry Lowther A. Exploring and establishing a framework for effective governance in European grassroots sports organisations. Journal of Applied Sport Management. 2016; 8(1):80-104. doi: 10.18666/JASM-2016-V8-I1-6234
12 Monteiro A, Garcia R. O legado axiológico dos Jogos Olímpicos. Lisboa: Comité Olímpico de Portugal; 2016.
13 Bento JO. Do desporto: Necessidade de recordar e avivar o seu legado. Olimpianos - Journal of Olympic Studies. 2019;3:1-26. doi: 10.30937/2526-6314.v3.id73
14 Renaud M. O Desporto como metáfora da existência humana. In: Renaud M (ed). Ética e Valores no Desporto. Porto: PNED / Edições Afrontamento; 2014. p. 13–24.
15 Lumpkin A. Modern sport ethics: a reference handbook. Second Edtion. Santa Barbara: ABC-CLIO, LLC; 2017.
16 Loland S. Ethics in sport – current and future challenges. In: Ethics and sport in Europe. Strasbourg: Council of Europe; 2011. p. 175–82.
17 Rubio K. Identidade heroica e narrativas biográficas: A memória do esporte por atletas olímpicos. Olimpianos - Journal of Olympic Studies. 2019;3:1–24. doi: 10.30937/2526-6314.v3.id85
18 Costa A. Desporto e Antropologia. In: Pereira A, Costa A, Garcia R, (eds). O Desporto entre lugares O lugar das Ciências Humanas para a compreensão do desporto. Faculdade de Desporto - Universidade do Porto; 2006. p. 37–72.
19 Pereira A. O sentido (pedagógico) do desporto. Revista da Sociedade Científica de Pedagogia do Desporto. 2010;1(1):5–11.
20 Patrício M. Perenidade da Aretê como horizonte apelativo da Paideia. Sobre a excelência em educação. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. 2008;8(2):287–95.
21 Garcia R, Cunha A. Jogos Olímpicos. Sob o signo da utopia. Lisboa: Visão e Contextos, Edições e Representações, Lda.; 2016.
22 Aristóteles. Ética a Nicómaco. Lisboa: Quetzal; 2004.
23 Tolentino Mendonça J. O pequeno caminho das grandes perguntas. Lisboa: Quetzal; 2017.
24 Clemente M, Rocha P. Uma casa aberta a todos. 3aedição. Prior Velho: Paulinas Editora; 2013.
25 Patrício M, Sebastião L. Conhecimento do Mundo Social e da Vida. Passos para uma pedagogia da sageza. Lisboa: Universidade Aberta; 2004.
26 Gomes T. Utopia e sociedade. Em: Centeno Y, editor. Utopia Mitos e formas Compilação das comunicações apresentadas no colóquio. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian; 1993. p. 473–81.
27 Harari Y. Homo Deus: História Breve do Amanhã. Amadora: Elsinore; 2017.
28 Moltmann, J. Olímpia entre a política e a religião. Revista Consilium. 1989;(225):107–15.
29 Brito J. Ética geral e éticas aplicadas. In: Patrão Neves M do C (ed). Ética Dos fundamentos às práticas. Lisboa: Edições 70, Lda.; 2016. p. 286–98.
30 Reimão C. A Ética no contexto das Ciências Humanas. In: Patrão Neves M (ed). Ética Dos fundamentos às práticas. Lisboa: Edições 70, Lda.; 2016. p. 245–62.
31 Willaime J-P. As condições socioculturais da religião na ultramodernidade contemporânea. Em: Borges A, editor. Deus ainda tem futuro? Lisboa: Gradiva Publicações, Lda.; 2014. p. 21–51.
32 Morus T. A Utopia. 6a Ed. Lisboa: Guimarães Editores, Lda; 1985.
33 Maquiavel. O Príncipe. Lisboa: Edições Sílavo; 2007.
34 Pico della Mirandola G. Discurso sobre a Dignidade do Homem. Lisboa: Edições 70, Lda.; 2006.
35 Ambrogetti F, Rubin S. Papa Francisco. Conversas com Jorge Bergoglio. Prior Velho: Paulinas Editora; 2013.
36 Lipovetsky G. A felicidade paradoxal. Ensaio sobre a sociedade do hiperconsumo. Lisboa: Edições 70, Lda.; 2007.
37 Lipovetsky G. A sociedade da deceção. Lisboa: Edições 70, Lda.; 2012.
38 Platão. A República. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian; 2017.
39 Galeano E. Futebol: Sol e Sombra. Lisboa: Livros de Areia Editores; 2006.
40 Teixeira A, Tolentino J, editores. Desporto, ética e transcendência. Lisboa: Edições Afrontamento; 2016.
41 Lipovetsky G. O crepúsculo do dever. A ética indolor dos novos tempos democráticos. Lisboa: Publicações D. Quixote; 1994.
42 Infopédia. Protágoras - Infopédia [citado 1 jun 2021]. Infopédia - Dicionários Porto Editora.. Disponível em: https://www.infopedia.pt/$protagoras
43 Garcia R. A herança: a utopia da maratona. In: Pinto P (ed). Olímpico: os jogos num percurso de valores e de significados. Lisboa: PNED / Edições Afrontamento; 2013. p. 57–66.
44 Eliade M. O Mito do Eterno Retorno. Lisboa: Edições 70, Lda.; 1999.
45 Garcia R, Lemos K. Temas (quase éticos) de Desporto. Belo Horizonte: Casa da Educação Física; 2009.
46 Dalai Lama. Ética para o novo milénio. Lisboa: Círculo de Leitores; 2000.
47 Duran González J. Ética de la competición deportiva: Valores y contravalores del deporte competitivo. Materiales para la Historia del Deporte 2013;(11):89–115.